Nossa História

No dia 14 de maio de 1944, chega a Assaí o primeiro vigário Frei Epifânio. O.F.M (da Ordem dos Frades Menores), que passa a residir nesta cidade. Desta maneira a comunidade assaiense recebeu assistência espiritual contínua e permanente. Nesta data também foi aberto o livro de Batizados. A capelaauto

  • Nossa História

  • Agosto: Mês Vocacional

  • Liturgia

  • Programa Ecos de São José

  • Programa Oração da Ave Maria

  • Programa Anunciando Jesus

  • Ano Nacional Mariano - 2017

  • Setembro - Mês da Bíblia

  • Juntos com a CNBB pela Evangelização

Palavra do Pastor - Vocações

Chegamos ao mês de agosto. Na Igreja católica do Brasil este é o mês em que se reflete e se reza pelas vocações. No primeiro domingo roga-se pela vocação aos ministérios ordenados: bispos, padres e diáconos. No segundo domingo, dedicado aos pais, reza-se pela vocação à paternidade e à maternidade. O terceiro domingo é dedicado à vocação à vida consagrada dos religiosos e das religiosas. E, finalmente no último domingo os católicos são convidados a rezar pela vocação aos diversos ministérios leigos, mas de modo especial, pelo ministério das/os catequistas.
Vocação é uma palavra de significado amplo. Em primeiro lugar significa o chamado à vida feito por Deus a cada um de nós. Poderíamos não ter nascido. Eu, por exemplo, sou o sexto filho de uma família bem numerosa. Meus pais poderiam ter se contentado com cinco. Eles já tinham muito o que fazer com meus irmãos mais velhos. Mesmo assim permitiram que eu viesse à vida. Numa perspectiva de fé vejo, nesta permissão e aceitação de meus pais, a mão de Deus. Foi ele que por desígnio benevolente de sua vontade, desde toda a eternidade me predestinou a ser seu filho (cf. Ef 1,5). Além do chamado à vida, Deus nos chama também para a santidade. Conforme nos ensina São Paulo, “a vontade de Deus é que sejamos santos” (1Ts 4,3). Santidade, portanto, não é apanágio de alguns, mas vocação de todos. À vocação à santidade cada um responde num determinado estado de vida: muitos como leigos e leigas, outros como consagrados e consagradas na vida religiosa e outros ainda assumindo ministérios ordenados na Igreja, alguns como bispos, vários como padres e alguns como diáconos.
Neste ano, o mês vocacional acontece no contexto do Ano Mariano, proclamado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) para comemorar os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida, no Rio Paraíba do Sul, no Estado de São Paulo. Por isso a escolha do tema e do lema faz referência a Nossa Senhora, com a seguinte formulação: tema - “A exemplo de Maria, discípulos missionários”; lema - “Eis-me aqui, faça-se”. O objetivo, como nos outros anos, é motivar a oração pelas vocações nas comunidades, paróquias e dioceses, além de conscientizar adolescentes e jovens ao chamado de servir a Igreja. Nas palavras de Dom Jaime Spengler, Arcebispo de Porto Alegre e Presidente da Comissão para os Ministérios Ordenados da CNBB, “a Igreja no Brasil realmente deseja neste mês de agosto de 2017 promover um grande mutirão e dentro das comemorações dos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida suplicar ao céu que não falte operários para a vinha. Esperamos que muitos jovens do sexo feminino e do sexo masculino possam responder como fez Maria: Eis-me aqui, faça-se segundo a tua palavra”.
No próximo domingo estaremos rezando especialmente pelos vocacionados aos ministérios ordenados: bispos, padres e diáconos. Vamos pedir ao Senhor da messe que mande mais operários para a sua messe, pois como sabemos o número de padres tem decrescido muito. Mas, nossa oração deve ser de modo especial pela fidelidade de nossos padres a fim de que eles sejam sacerdotes segundo o coração de Deus. Vamos rezar para que nossos padres atendam os apelos do Papa Francisco. Em uma homilia centrada nas tentações que podem colocar em risco o serviço dos padres o Papa advertiu-os para que sejam “mediadores do amor de Deus, nunca intermediários que pensam somente no próprio interesse”. O intermediário, diz o Papa, nunca perde, faz o seu trabalho com preço ajustado. O mediador, pelo contrário, não exige nada, antes paga a sua ação com a própria vida, o próprio cansaço. A lógica do mediador é a lógica de Jesus que “aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de escravo” (Fp 2,7). Também chamou a atenção dos “rígidos” que fazem os fiéis carregar coisas que nem eles carregam. Inspirado na passagem do Evangelho em que crianças sentadas na praça não se comovem nem com toques de flautas, nem com cantos de luto (Lc 7,32), o Papa referiu-se aos padres “insatisfeitos” dizendo que eles fazem muito mal.
Neste mês vocacional vamos celebrar a ordenação presbiteral do João Paulo Domingues no próximo sábado, na paróquia de Santo Antônio, em Santo Antônio do Paraíso e a do Diego Carvalho Dias, na Paróquia Nossa Senhora Aparecida em Congonhinhas, no próximo dia 13. João Paulo escolheu como lema de sua vida presbiteral a exortação do Apóstolo Paulo aos Filipenses: “Alegrai-vos sempre no Senhor! Repito alegrai-vos!” (Fp 4,4).  O Diego, por sua vez, inspirou-se no Evangelho de Lucas: “Eu, porém, estou no meio de vós como quem serve” (Lc 22,27). A estes dois caros irmãos vamos abraçar com votos de plena realização no ministério que estão para assumir, dando-lhes a certeza de nossa afeição, nosso apoio e nossa oração.

Dom Manoel João Francisco
Bispo da Diocese de Cornélio Procópio

Redes Sociais


Pastorais, Grupos, Movimentos e Comunidades

Destaques

Instituto Santa Paula