Nossa História

No dia 14 de maio de 1944, chega a Assaí o primeiro vigário Frei Epifânio. O.F.M (da Ordem dos Frades Menores), que passa a residir nesta cidade. Desta maneira a comunidade assaiense recebeu assistência espiritual contínua e permanente. Nesta data também foi aberto o livro de Batizados. A capelaauto

  • Nossa História

  • Agosto: Mês Vocacional

  • Liturgia

  • Programa Ecos de São José

  • Programa Oração da Ave Maria

  • Programa Anunciando Jesus

  • Ano Nacional Mariano - 2017

  • Setembro - Mês da Bíblia

  • Juntos com a CNBB pela Evangelização

Diocese Procopense


Dom Manoel é nomeado o novo Administrador Apostólico da Arquidiocese de Londrina

No dia 21 de Janeiro, a Arquidiocese de Londrina (PR) acolheu seu novo Administrador Apostólico Dom Manoel João Francisco, bispo diocesano de Cornélio Procópio (PR). Ele ficará à frente do governo da Arquidiocese de Londrina até que o Santo Padre, o Papa Francisco nomeie o novo Arcebispo Metropolitano.
O administrador apostólico ou administrador diocesano é um presbítero ou um bispo, que administra uma arquidiocese que se encontra em situação de sede vacante, ou seja, sem um bispo ou arcebispo titular, eleito e residente. Quando o administrador é designado pelo Santo Padre, ele é chamado de apostólico, quando diferentemente é designado pelos padres participantes do Colégio dos Consultores, é chamado de diocesano.
Sé Vacante ou Sede Vacante (do latim Trono vazio), no Direito Canônico da Igreja Católica Apostólica Romana corresponde ao período em que a Sé episcopal (Cátedra) da Igreja Particular de Londrina está sem um arcebispo titular (eleito). Isso pode acontecer quando um bispo falece, renuncia ou, é transferido, como foi o caso de Dom Orlando Brandes.
Biografia: Dom Manoel João Francisco é o quarto bispo da Diocese de Cornélio Procópio (PR). Nasceu no dia 5 de setembro de 1946 (70 anos). É natural de Machados, Itajaí (SC). Recebeu a ordenação presbiteral em 8 de dezembro de 1973, em Navegantes (SC). Foi nomeado bispo em 28 de outubro de 1998.
Foi bispo de Chapecó desde 21 de fevereiro de 1999 até sua nomeação para a Diocese de Cornélio Procópio no dia 26 de março de 2014. Entre 2003 e 2007, foi presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia, da CNBB. Também atuou como referencial da Pastoral Indígena e da Liturgia no Regional Sul 4 (Santa Catarina).
Em 2011 foi eleito presidente do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (CONIC). Dom Manoel sucede o bispo emérito Dom Getúlio Teixeira Guimarães, SVD, que teve a sua renúncia aceita em conformidade com o cânon 401.1 do Código de Direito Canônico no dia 26 de março de 2014. A posse de Dom Manoel ocorreu no dia 01 de junho de 2014, com a realização da 9ª Festa da Unidade. Seu lema episcopal é “Em vasos de argila”.
PASCOM Arquidiocesana de Londrina

Assembleia diocesana definiu Urgências para o trabalho pastoral

Depois de meses de organização, a Diocese de Cornélio Procópio realizou a sua X Assembleia Diocesana de Pastoral para definir as urgências que serão trabalhadas nas comunidades durante os próximos quatro anos. A Assembleia Diocesana de Pastoral é sempre um momento forte de oração, reflexão, discussão e tomada de decisões para a caminhada da Igreja.
Os trabalhos iniciaram-se em março, a partir da reunião do Conselho Diocesano de Pastoral, nos dias 5 e 6. Esta foi a sequência das atividades: 05 e 06 de março celebração de abertura nas paróquias; abril lançamento de uma pesquisa de opinião sobre a presença da Igreja na sociedade e de uma carta aberta às lideranças civis sobre o mesmo assunto; três sessões do Conselho Diocesano de Pastoral; e várias reuniões da Equipe de Coordenação para os devidos encaminhamentos
No sábado, dia 22 de outubro, ás 9h, bispos, padres, religiosas, seminaristas, leigos e leigas encerraram oficialmente a Assembléia, escolhendo cinco urgência pastorais com duas propostas de atividades para cada uma.
Dom Manoel João Francisco iniciou o evento com uma celebração na capela da Casa João Paulo II. Em seguida, os participantes seguiram em procissão ao auditório, dando inicio aos trabalhos do dia.
Padre Elcio José, Coordenador Diocesano da Ação Evangelizadora, lembrou que, de acordo com o IBGE, vivem na Diocese de Cornélio Procópio 148 mil católicos. Por isso a responsabilidade dos presentes era muito grande. Tudo o que fosse decidido seria em nome daqueles 148 mil fiéis.
Tendo como texto iluminador as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil 2015-2019 (Doc. 102 CNBB), os participantes separam-se em grupos, para decidir as urgências pastorais da Diocese de Cornélio Procópio. Decidiu-se pelas cinco indicadas no texto da CNBB, às quais se acrescentaram dois destaques: família e juventude.
No início da tarde os participantes foram divididos novamente em grupos. Desta vez, deviam indicar pistas de ação para cada urgência. Após ampla discussão nos grupos e no plenário foram votadas e escolhidas duas pistas de ação para cada urgência.
Por volta das 16h30 minutos, os trabalhos foram concluídos. A X Assembleia Diocesana de Pastoral encerrou-se com a benção do Bispo Diocesano Dom Manoel que agradeceu a participação e o empenho de todos.

OBJETIVO, URGÊNCIAS E PISTAS DE AÇÃO APROVADOS NA 10ª ASSEMBLEIA DIOCESANA
2017-2020
OBJETIVO: Evangelizar, a partir de Jesus Cristo, na força do Espírito Santo, como Igreja discípula, missionária, profética e misericordiosa, alimentada pela Palavra de Deus e pela Eucaristia, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, da Pastoral Orgânica, das novas situações familiares e da realidade juvenil, para que todos tenham vida, rumo ao Reino definitivo.
Igreja em estado permanente de missão
♣ Criar e fortalecer os COMIPAs, IAM, JM, COMIDI, com a participação de um membro de cada pastoral, movimento, serviço e organismo, acompanhando e despertando o trabalho missionário nas famílias e comunidades;
♣ Oferecer meios e instrumentos para o trabalho missionário: Formação setorial e paroquial, elaboração de material diocesano.
Igreja: casa de iniciação a vida cristã
♣ Continuar e incentivar a implantação da iniciação a vida cristã (IVC) na catequese, família e juventude;
♣ Fortalecer e incentivar a Pastoral Orgânica de modo que todos assumam a iniciação à vida cristã como princípio norteador da Ação Evangelizadora, com inspiração bíblica, litúrgica e formação para a vida.
Igreja: lugar de animação bíblica da vida e da pastoral
♣ Motivar para que os animadores de grupos de reflexão e das demais pastorais, movimentos, serviços e organismos se apropriem do método da leitura orante, através de encontros de formação para os coordenadores, com temas diferenciados para a juventude.
♣ Promover formação bíblica/ teológica/ pastoral nas comunidades, utilizando os diversos meios pedagógicos disponíveis.
Igreja: comunidade de comunidades
♣ Dinamizar a vida eclesial nos setores paroquiais, com um olhar atento a realidade familiar e juvenil;
♣ Fortalecer a pastoral orgânica através do Conselho de Pastoral Paroquial (CPP) em vista da conversão, comunhão e participação na comunidade paroquial.
Igreja a serviço da vida plena para todos
♣ Promover a formação e aprofundamento sobre a Doutrina Social da Igreja, com incentivo a criação de Grupos de Fé e Política e associações comunitárias em defesa da vida e do meio ambiente.
♣ Despertar e formar novas lideranças; e acompanhamento do Serviço de Animação Vocacional (SAV) e da Pastoral Juvenil, incentivando novas vocações.
Paulo Bueno – Pascom

Dom Manoel concelebra missa na Basílica de Aparecida-SP

Dom Manoel Joao Francisco, bispo Diocesano, concelebra missa em Aparecida-SP. A cerimônia marca o envio da imagem jubilar de Nossa Senhora a Diocese de Cornélio Procópio.
A peregrinação começa hoje (01/05/2016 - domingo) na Paróquia Santa Bárbara onde será apresentada pelo Bispo Diocesano a comunidade, também participa da celebração Padre Gilmar Tito, pároco da paróquia de Nova Santa Bárbara.
A peregrinação da Imagem na Paróquia São José de Assaí esta prevista para acontecer entre os dias 10 a 16 de julho de 2016. Essa peregrinação faz parte dos preparativos para a celebração dos 300 anos do encontro da imagem que será celebrado no ano de 2017 em Aparecida-SP.
Nossa Senhora Aparecida,  rogai por nós!
Fonte: Diocese Procopense

Diocese de Cornélio Procópio realiza formação de Atualização Pastoral

O encontro de Atualização Pastoral da Diocese de Cornélio Procópio foi realizado no Centro Pastoral da Paróquia Nossa Senhora Aparecida de Uraí. Nesta oportunidade foi trabalhado o tema do Ano da Misericórdia - Misericordiosos como o Pai. E contour com a orientação de Dom Esmeraldo Barreto de Faria, Bispo auxiliar de São Luís/Maranhão. Dom Esmeraldo foi o quarto bispo de Paulo Afonso e o oitavo bispo de Santarém. Foi arcebispo de Porto Velho em Rondônia (2012 a 2015), mas renunciou por motivos de saúde. Atualmente é bispo titular de Summula e auxiliar da arquidiocese São Luís do Maranhão.
Dom Manoel João Francisco, Bispo da Diocese de Cornélio Procópio, fez a abertura do encontro acolhendo todos os participantes e ressaltou o quão importante é a reflexão do tema para a Igreja Particular de Cornélio Procópio vivenciar bem o Ano Santo da Misericórdia.
A Paróquia São José de Assaí foi representada por quatro agentes de pastorais, sendo eles: Iracilda Paes Chagas (Coordenadora da Pastoral da Saúde), Osvaldo Zotelli (Coordenador do CPP), Renato Mussi (Vice Coordenado do CPP) e Vinicius Campos (Coordenador da PASCOM).
O clero e os religiosos(as) da diocese também fizeram a atualização pastoral nos dias 17 e 18 de junho de 2016.
Pastoral da Comunicação

Mensagem de Dom Manoel sobre Nomeação de Pe. Donizete

Nossa Diocese esta vivendo dias de muita alegria pela nomeação do Pe. Donizete como Bispo Auxiliar de Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul. Sem dúvida é uma graça da misericórdia de Deus para a nossa Diocese a escolha de um membro de seu presbitério para a plenitude do sacerdócio. A todos nós cabe apenas dar graças e bendizer ao Senhor, nosso Deus, que olha para nossa pequenez e faz grandes coisas em nosso favor (cf. Lc 1,46-48).
Ao felicitar o Pe. Donizete, queremos expressar todo o nosso contentamento por tão grande graça de que foi alvo. Ao mesmo tempo, queremos assegurar-lhe a certeza de nossas preces para que a Mãe da Misericórdia, Nossa Senhora, o cubra com seu manto, dispensando-lhe toda proteção. Ela, a Mãe do Sumo e Eterno Sacerdote, haverá de ampará-lo sempre.Grande do Sul. Sem dúvida é uma graça da misericórdia de Deus para a nossa Diocese a escolha de um membro de seu presbitério para a plenitude do sacerdócio. A todos nós cabe apenas dar graças e bendizer ao Senhor, nosso Deus, que olha para nossa pequenez e faz grandes coisas em nosso favor (cf. Lc 1,46-48).
Nesta oportunidade, em que estou vibrando de alegria, como bispo do Pe. Donizete, penso não ser ousado demais se lhe recordo o que falou Santo Agostinho a um de seus diocesanos que acabara de ser eleito bispo. Santo Agostinho começa dizendo que suas palavras são para exortar a si mesmo, aconselhar o recém eleito e instruir os fiéis. Este é também o meu propósito. Vamos, portanto, ao que disse o grande Bispo do Norte da África.
“O bispo é, antes de tudo sucessor dos Apóstolos, com a mesma missão e as mesmas tarefas, principalmente a de servir na humildade, ou seja, o Bispo deve ser, na verdadeira acepção da frase, um “servus servorum Dei” (Servo dos servos de Deus).
Aquele que preside ao povo deve ter presente, antes de mais, que é servo de muitos. E isso não há de tomá-lo como desonra, porque nem sequer o Senhor dos senhores se recusou de nos servir. Quando viu que tinha se infiltrado entre os discípulos um certo desejo de grandeza e a fumaça da vaidade tinha começado a chegar em seus olhos, o Senhor, médico que estava presente, cortou aquele tumor. Pôs diante deles alguns meninos e disse-lhes: quem não se fizer como um desses meninos não entrará no reino dos céus (Mt 18,3). Na pessoa de um menino recomendou-lhes a humildade. A soberba é a grande malícia, a primeira de todas, o princípio e a origem, a causa de todos os pecados... Esta foi a razão pela qual Paulo, ao mencionar as diversas virtudes que um bispo deve possuir, acrescentou também isto: não seja um neófito, a fim de que, enquanto novo na fé, não se ensoberbeça e incorra na condenação que cabe ao diabo (1Tm 3,6).
(...). Dirigindo-se o Senhor aos Apóstolos e confirmando-os na humildade, além de propor-lhes o exemplo do menino, disse-lhes: aquele que quiser ser o maior seja o vosso servidor (Mt 20,26). Vede como não fiz nenhuma afronta ao meu irmão, ao querer e ao convidá-lo a ser vosso servo. Se fiz este convite a ele, antes o fiz a mim mesmo. Não sou um qualquer que fala sobre o que deve ser o bispo, mas falo, sendo eu mesmo bispo. O que a ele aconselho, causa-me temor a mim também e faço presente a minha alma o que disse o Santo Apóstolo: Quanto a mim, é assim que corro, não ao incerto; é assim que pratico o pugilato, mas não como quem fere o ar. Trato duramente o meu corpo e reduzo-o à servidão a fim de que não aconteça que, tendo proclamado a mensagem aos outros, venha eu mesmo ser reprovado (1Cor 9,26-27).
(...). Assim deve ser o bom bispo. Se não for assim não é bispo. De que adianta um desgraçado chamar-se Felix (Feliz)? Se acolhes em tua casa um mendigo, cheio de misérias, chamado Felix, e dizes a ele: Felix vem pra cá, Felix vai pra lá, Felix levanta-te, Felix senta-te, ele, apesar da múltipla repetição de seu nome, Felix, continuará sendo um infeliz. Semelhante a esse homem é aquele a quem chamam bispo, mas não o é. A honra do nome, nada mais lhe traz a não ser fazer maior o seu crime. Quem é um bispo que tem esse nome, mas não o é? É o que se preocupa mais com sua honra do que com a saúde do rebanho de Deus, quem neste ministério tão sublime busca mais seus próprios interesses do que os de Jesus Cristo. Este recebe o nome de bispo, mas não o é. Ser chamado bispo e não ser bispo é usar um nome falso. Para ser o que lhe chamam, não me ouça mim, mas ouça comigo. Escutemos juntos. Aprendamos juntos como condiscípulos, na mesma escola do único mestre, que é Cristo, cuja cátedra está no céu, cátedra que antes foi uma cruz na terra...”.
Mais uma vez quero expressar ao Pe. Donizete todo o meu apreço e a certeza de minhas pobres orações para que continue sendo como bispo, o pastor que tem sido como padre.
D. Manoel João Francisco - Bispo da Diocese de Cornélio Procópio-PR

Pagina 1 de 6

Redes Sociais


Pastorais, Grupos, Movimentos e Comunidades

Destaques

Instituto Santa Paula